terça-feira, 28 de junho de 2011

Felizes pra Sempre, Nunca, Era uma Vez! De Príncipe a Sapo.

Se teu amado, amante lhe diz "pra sempre", desconfie!
Pra sempre! Sempre acaba.
Se teu amado, amante lhe diz "nunca", desconfie!
Nunca! Não existe, não há tempo! Pode ser a qualquer hora.
Se teu amado, amante lhe diz "Era uma vez", desconfie!
Era uma vez! Só em contos de fada! De fada você não tem nada e de sapo ele tem tudo.
Se teu amado, amante lhe diz "Felizes para sempre", desconfie!
Felizes para sempre! Só nos filmes de Shrek e outros. O amor é também uma dor.
Se teu amado, amante lhe diz "somos um", desconfie!
Somos um! Nem Adão e Eva são dois em um. Eva não se submeteu a ordem dívina e deixou sua marca singular e não plural.

São tantos contos que permeiam o imaginário. Essas histórias que passam anos e anos e contamos para nós mesmas. Confesso que conto e acredito em certos momentos nesses contos, mesmo sabendo que de fada nada tenho (às vezes, penso que sou) sou muito mais bruxa (quando eu quero, se não todos os dias) ou mesmo, tenho um pouco das duas, meio bruxa, meio fada, por isso procuro meias-verdades.

Se penso, falo e digo se queres lançar no oceano enigmático do amor, deixe de sonhar com contos de fadas, nesse mundo pós moderno não existe príncipe, existem sapos que enriquecem nossa existência...(são sofismas que eu criei). São os sapos que nos impedem de mergulhar em nossos ideais infantís, (tudo bem que o inconsciente é infantil, atemporal)...mas, sim, os sapos são as quebras de nossos ideais!
E quer saber, é muito melhor ficar com um sapo que pode dar aquilo que não tem, mas que pensamos ter, que nos deixa insatisfeitas por não ter o que desejamos e isso nos faz desejantes, que toca nossa alma com palavras e nos embriaga com o amor.
Essa é minha concepção acerca do exercício do amor, que considero a conquista da maturidade.  Eu disse exercício?
Penso que...Deve ser um exercício a resolver os ideais infantís.

Um comentário:

  1. Obrigada pela visita, gostei da maneira que você encontrou para falar em amor, de uma forma moderna.
    Beijoss.

    ResponderExcluir

Arts Bighouse