terça-feira, 5 de julho de 2011

Irremediávelmente Insatisfeita

De repente é amor!
Isso faz-me lembrar aquele filme com o lindo do Ashton Kutcher, mas nada tem a ver com o que há de ser dito, meu amor. Ashton é lindo, mas nada comparado com você e tua unha encravada, seu humor irritável quando esqueço as chaves do apartamento no escritório e tens que voltar para buscá-la...(exagerei, né?! Sou assim, meio, exagerada). E quando você pergunta sobre o que eu penso do amor (é, discutimos o indiscutível!); fico emudecida e enquanto isso minh'alma grita, porque penso tanto que me canso. Às vezes, não penso e quando nada penso, sinto. Daí, as coisas que não fazem sentido (naquele momento), tem o sentido em si...falam de uma verdade que possivelmente, está além do meu tempo lógico. É...vivo sentida do não sentido e sinto o que penso não sentir.

O que penso, racionalmente, fica sob meu controle ("controle, penso"...não são somente palavras, mais que isso, significantes...sou meio obsessiva?!); mas quando permito-me lançar no oceano enigmático e no que escapa entre os meus dedos, fico...meio, enlouquecida (falo com Romeu e ouço-me ao mesmo tempo); e logo começo a falar sobre o amor...

Tento falar de outra coisa, mas o que me ocorre...resta falar do amor, desse amor...Sou uma insatisfeita irremediável, por isso falo tanto no amor. Houve um tempo em que, simplesmente estar contigo era suficiente, mas hoje, não é mais assim! Há algo mais forte do que eu...Desejo, isso mesmo!

Não me contento com pouco. Há poucos dias, falei contigo e reafirmo:
Não quero ser somente o teu romance, quero ser o que te inspira a escreve-lo.
Não quero ser somente um trecho de música francesa, quero ser a inspiração de sua composição.
Não quero ser somente o que lhe tira o fôlego, quero ser o teu ar.
Não quero ser somente seu acalento, quero ser seu tormento.

Troque todas as negativas "não quero" por desejos.
Tudo o que digo que não quero é porque desejo e muito mais, mais do mais. Quero mesmo é ser seu tudo. Tudo aquilo que lhe falta, desde o que lhe satisfaz e o que lhe deixa insatisfeito, cheio de desejos. É assim que você me faz sentir!
Sou cheia de quereres e desejos. Sou irremediávelmente insatisfeita, um tudo nada.

O amor que visa a satisfação não é para mim! Desejo mais além do que podes me dar; ou melhor, não o tens para dar, por isso eu desejo-o. Todas às vezes que tenta satisfazer-me, por um momento, sinto-me satisfeita. Em seguida, algo se reinicia e "dou de cara com um tudo nada". Todo o seu banquete de amor não me é suficiente, se fosse eu morreria sufocada e não haveria o milagre do amor. As minhas satisfações são meus quereres, mas os meus desejos são sempre insatisfeitos. É meu amor, tu tens algo que eu não tenho, não sei o que é...Talvez, o nada! E esse nada do que tens, faz-me deseja-lo. 

Não há remédio para minha insatisfação! Amo tanto que não cabe em mim! Amar é meu sintoma e o amor é a cura para a minha loucura. Isso é o que minha alma grita quando fico emudecida e o deixa atormentado. De repente meu silêncio é esse clamor que proclama e reclama desse amor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arts Bighouse