sexta-feira, 8 de julho de 2011

O Presente do Passado

Que história é essa de morrer para o passado? 
Então, meu amor, vou te contar que discordo dessa história e acho a maior utopia, além de psicologia barata e coisinhas de livros de auto-ajuda! Como sou do contra e tenho sempre uma crítica para fazer, discordo de quem afirme categoricamente para eu morrer para o meu passado. Sei que você, muitas vezes, se incomoda por eu expôr tão claramente minhas opiniões. Mas, como assim, morrer para o passado?  
Morrer para o passado não é a solução! A solução pode estar lá! Se eu morrer para ele, ele vai comigo para o túmulo.

Se morro para o passado, perco parte de minha história, senão toda a história. Meu passado me fez no hoje. Se sou o que sou hoje, muito do meu passado (se não todo) tem haver com isso. E você vem me falar de morrer para ele. Obstinada como sou, não vou morrer coisa nenhuma! Mas também não quero repetir e buscar mais do mesmo de forma diferente. Sou aquilo que não fui e fui aquilo que não sou! Disso o passado e eu, temos contas a acertar.
E não venha me dizer, que tenho que esquecer o passado e blábláblá...De blábláblá eu tenho outro lugar pra falar, se não agora mesmo! Para o passado não há borracha, não há "delete".

O passado se conserva integralmente. Ele aparece, mesmo que inconscientemente. E não adianta tentar apagar, esquecer, ele pode aparecer de forma escamoteada. Não adianta! Meu amor, a única forma é reconciliar-se com ele, ou melhor com nossa história. Não morra para o passado! Reconcilie-se com ele!
Tire-o da caixinha de presente. Rompe com esse laço que o enfeita! Ele é presente velho. Ele só é presente porque você o guardou na caixa. O presente do passado é tão velho que não adianta decorar a caixa, uma hora ela desmonta.

E enquanto ele fica na caixa, a nossa tendência é sempre chorar o leite derramado. E de tanto chorar as lágrimas e o leite, podes inundar a sua alma e  ficar soterrado nessa lama.
Agora, pare com essa história de morrer para o passado! Essencial é reconciliar-se com ele, porque viver é morrer dia a dia, se morro para o passado, mato minha vida. Amanhã nosso presente será passado e daí você vai querer matá-lo?

4 comentários:

  1. Oi,Lu!Eu ia fazer um post sobre isso, não sobre matar o passado,mas sobre matar e apagar certas lembranças,mas concordo contigo não há como matar o passado porque muito do que somos está envolvido com o nosso passado.O que precisamos fazer é seguir em frente apesar de tudo o que vivemos no passado...
    Beijosss

    ResponderExcluir
  2. Oi, Si! Impossível matar o passado, né? Podemos conviver com ele, depois de nos reconciliarmos. Bem vinda aqui! Beijão.

    ResponderExcluir
  3. Lú, perfeito isso que você escreveu, aliás TUDO!
    Curto o aplicativo no Face, mas ainda não tinha vindo aqui... Amei! Parabéns!
    E continue alimentando nossas almas com suas palavras!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Obrigada por suas palavras gentis, Paloma! Que bom que gostou, sinta-se a vontade aqui e lá. Forte abraço e beijo enorme!

    ResponderExcluir

Arts Bighouse