segunda-feira, 18 de julho de 2011

Onde minhas mãos não tocam minh'alma transborda...

Há tempos que sinto a vida por outra ótica. Depois que minh'alma cresceu para além do meu pequeno corpo, enxergo melhor a vida quando olho com os olhos dessa extensão transbordante dentro dele. Apesar de não ter entrado na casa dos "inta" sinto-me um tanto quanto estranha, porque ela cresceu demais diante do espaço em que ela habita. Um pouco imatura numa maturidade com poucos caminhos percorridos no mapa. E quanto mais percorre caminhos, descobre outros, sente mais fome e sede.

Minh'alma é sedenta no vício em respirar. A cada instante, prendo a eternidade nos meus pulmões, mesmo que por um segundo, já que não sei onde estarei no próximo minuto. Respiro a vida, inspiro-me no amor e espirro palavras. E como se não bastasse tento dizer o indizível e tocar o intangível...E 'lá' onde minhas mãos não tocam que minh'alma transborda. Transborda de sede e fome insaciável. Ela é jovem! Não tem marcas do tempo.

Chronos é injusto e deixa marcas indeléveis no corpo. Também deixa um mapa com caminhos percorridos e caminhos a percorrer. É, ser jovem pode ser incompatível com chronos. Ser jovem não é ser criança, apesar de que há uma criança habitando em mim, sempre querendo saber porque. Ser jovem não é ser adolescente apesar de que em algumas situações há manifestações in-convenientes de alegria e alvoroço quando vejo o que desperta-me do sossego. Há jovens cronológicos demasiadamente velhos e há velhos marcados cronológicamente com uma alma jovem. Ser jovem é ter fome de vida, sede por palavras e mesmo quando chronos tiver demarcado território no corpo, ter um coração que samba celebrando o tão gentil e honesto ar.
Ser jovem é ter alma transbordante e embora as mãos estejam com a pele enrugada, o rosto sem esplendor para atrair olhares é ter uma habitante nessa casa que vai dizendo ao coração: Suspira!
E então seguir suspirando, deixando a alma fazer cócegas suscitando risos até o corpo gargalhar por inteiro.

4 comentários:

  1. ...'é ter uma habitante nessa casa que vai dizendo ao coração: Suspira! // E então seguir suspirando, deixando a alma fazer cócegas suscitando risos até o corpo gargalhar por inteiro.'

    Que lindo isso Lú! Adorei o texto... Seu blog é muito bom... Parabéns!!

    Anne
    www.anneluisebr.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Anne! É muito bom deixar a alma fazer cócegas até o corpo rir por inteiro. Beijo ;)

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto lu!!ótima inspiração para o dia!! =D

    beijoss ;**

    ResponderExcluir
  4. Oi,Anne!lindo texto. A Alma não é de todo nossa ela faz parte do todo, do universo, por isso talvez tu sintas ela tão grande.
    Beijosss

    ResponderExcluir

Arts Bighouse